sexualidade e emoções

HPV (papiloma vírus humano) PDF Imprimir E-mail
Ter, 28 de Junho de 2016 01:25

Nome genérico de um grupo de vírus que engloba mais de cem tipos diferentes, que pode provocar a formação de verrugas na pele e nas regiões oral (lábios, boca, cordas vocais etc), anal, genital e da uretra. As lesões genitais podem ser de alto risco porque são precursoras de tumores malignos, especialmente do câncer de colo do útero e do pênis. (Dr. Drauzio Varella)

A transmissão se dá através das relações sexuais, de mãe para filho ou de objetos que alberguem o HPV.

O diagnóstico caracteriza-se por lesões nos órgãos sexuais. Nas mulheres podem se espalhar pelo colo do útero e na genitália como um todo. A colposcopia e o exame mais indicado para o diagnóstico.

Os sintomas podem ser assintomáticos ou provocar aparecimento de verrugas.

O tratamento pode ser clínico (com medicamentos) ou cirúrgico: cauterização química, eletro cauterização, laser ou cirurgia convencional.

A importância do uso do preservativo é a medida de prevenção mais adequada, como também para outras doenças sexualmente transmissíveis.

Diante de um diagnóstico de uma doença sexualmente transmissível, além das preocupações com a busca do tratamento adequado, os aspectos emocionais também se acentuam negativamente e podem gerar conflitos na relação conjugal.

Mágoas e desconfiança podem interferir na qualidade da vida sexual do casal.

O médico que está acompanhando o caso, necessita ter um comportamento atencioso e acolhedor para que o paciente que recebe o diagnóstico de uma doença sexualmente transmissível possa seguir o tratamento sem maiores transtornos, principalmente, no que se refere a vida conjugal.

Todos nós temos responsabilidade por nossa saúde sexual e o respeito pela saúde da(o) parceira(o), portanto a sexualidade deve ser vivida, evitando, desta forma, problemas na nossa saúde física e mental.

Receber um diagnóstico de uma doença sexualmente transmissível, vivenciando uma relação conjugal estável, pode, em muitos casos, desequilibrar a qualidade da relação, gerando conflitos.

A terapia de casal, neste momento, é de grande importância para a superação da crise, onde vários aspectos são abordados e trabalhados terapeuticamente, reconstruindo a confiança e a afetividade.

Sempre recomendo o trabalho multidisciplinar nos casos onde os problemas, emocionais interferem na vida do indivíduo diante de qualquer que seja sua patologia física.

 

Semiramis Prado

 

Enquete

Quais temas você gostaria de ler a respeito?