sexualidade e emoções

A Dança e o Corpo PDF Imprimir E-mail

 

“Pela observação e percepção dos movimentos mais simples, iniciamos um trabalho de sensibilização sutil, mas de grande efeito”.

Klauss Vianna

 

Quando procuramos a dança, procuramos tudo que sua magia pode nos proporcionar: alegria, amigos, lazer, que são objetivos imediatos, em curto prazo, pois a dança proporciona muito mais que isso.

Quando pensamos em dançar, pensamos em um local para aprender, pensamos nas roupas, nos calçados, no(a) parceiro(a), na música, entretanto, não pensamos no corpo, e a dança não existe sem ele. Mas como pensar no corpo? Pensar o corpo é senti-lo, conhecê-lo, descobri-lo.

Ao estudarmos os movimentos que executamos, estimulamos a reeducação de nossos sentidos, e também damos início ao processo de conhecimento do corpo (consciência corporal). Conhecer o próprio corpo requer perseverança e disciplina.

Nosso corpo carrega nossa história de vida, experiências, emoções, costumes, etc. As possibilidades de movimento de cada corpo evidenciam essas diferenças: físicas, emocionais, sociais, culturais, entre outras.

Explorar e descobrir as possibilidades de movimentos de cada corpo (nunca haverá um corpo igual ao outro) e a aceitação dessas diferenças, as nossas e as dos outros, não é fácil e nem tão pouco simples, porém, esse processo é um ato de respeito e de amor por você e pelas pessoas com quem você dança.

Edwis Torres

Dança de Salão

 

.
 

Enquete

Quais temas você gostaria de ler a respeito?