sexualidade e emoções

Disfunções Sexuais Femininas de Causa Orgânica

 

Alterações hormonais, alterações vasculares, debilidade física por conta de doenças e uso incorreto de medicamentos são as grandes causas de disfunção sexual feminina.No climatério, o decréscimo de estrógenos ou da testosterona diminui a libido.

A queda hormonal acarreta menor fluxo sanguíneo vaginal e do clitóris, assim como distúrbios do sono, labilidade emocional e da memória; o aumento da prolactina (por exemplo: no pós parto) e a diminuição dos hormônios tiroideanos (hipotioroidismo). Estas alterações hormonais são causas de disfunção sexual feminina.

A hipertensão arterial, tabagismo, altos níveis de colesterol e problemas cardíacos estão associados à disfunção sexual feminina, acarretando frigidez sexual; a aterosclerose pode levar à diminuição do fluxo sanguíneo genital o que causa fibrose do músculo liso do clitóris e da parede vaginal, tendo como conseqüência vagina seca e dispareunia (dor à relação sexual.

O aumento do fluxo sanguíneo e a sensibilidade do tecido erétil são fundamentais para o prazer feminino.

 

O vaginismo é a presença de contração reflexa involuntária na musculatura do terço externo da vagina, antes ou durante a tentativa de penetração. Ele está muito ligado ao fenômeno dor à relação sexual (dispareunia), principalmente nas mulheres sexualmente ativas há pouco tempo.

Algumas situações podem acarretar dispareunia, tais como: doenças inflamatórias pélvicas, infecções vaginais, infecções do trato urinário, cicatriz vaginal, endometriose, aderências pélvicas, privação temporária de hormônio (lactação) e problemas gastrointestinais.

 

O uso de alguns medicamentos (flufenazina, tioridazina (antipsicóticos), amoxapina (antidepressivo), alucinógenos e álcool são causas de dificuldade de orgasmo feminino. Os anticoncepcionais também podem atuar nessa inibição do orgasmo.

 

A síndrome de tensão Pré-menstrual (TPM) é também causa de frigidez sexual: muitas mulheres têm orgasmo durante todo o resto do ciclo e no pré-mênstrue não tem sequer o desejo sexual.

 

Muitas doenças podem interferir negativamente no desempenho da sexualidade feminina, tais como: esclerose múltipa, trauma raquimedular, diabetes mellitus, hipo ou hipertiroidismo, doença de Addison, hipopituitarismo, câncer, doença hepática, doenças renal, stress intenso. A esterilidade conjugal e o ciclo grávido-puerperal diminuem também, temporariamente, a libido.

 

Dr. Alexandre Guerra - COGIRE

 

.
 

Enquete

Quais temas você gostaria de ler a respeito?