sexualidade e emoções

Disfunção Erétil

 

A disfunção erétil deve ser definida enquanto dificuldade parcial ou total para obter e/ou manter a ereção peniana para o coito satisfatório (Rodrigues Jr, 1993).

A disfunção erétil constitui uma das mais penosas disfunções sexuais masculinas.

A disfunção erétil tem sido uma das queixas de maior prevalência nos consultórios de terapia sexual.

O homem, diante de uma dificuldade de ereção ocasiona várias mudanças no aspecto emocional, principalmente na sua auto-estima. No momento em que o homem pela primeira vez se ver diante de uma dificuldade de ereção, as próximas relações sexuais, na grande maioria dos homens, não são as mesmas. A partir deste momento o medo de que este episódio se repita causa no homem uma ansiedade de desempenho. É como se este fantasma (o medo de perder a ereção) estivesse sempre presente em suas relações sexuais.

O mito de que o homem nunca pode falhar está presente no imaginário dos homens, independente do seu nível cultural.

O constrangimento se torna mais significativo, principalmente, quando o homem está diante de uma parceira que tem representação sentimental na sua vida. Quando estas dificuldades de ereção começam a se repetir com mais frequência, instala-se, progressivamente, um clima de angústia, ansiedade e tristeza, que consequentemente repercute negativamente no seu estado emocional e no desempenho sexual.

Muitos homens nesta situação começam a evitar relações sexuais, por temer um novo fracasso.

O homem com disfunção erétil amanhece e adormece pensando nesta dificuldade que geralmente reflete no seu desempenho profissional, nos relacionamentos interpessoais, ocasionando em muitos casos, distúrbios do sono, ansiedade e nos casos extremos podendo levar a um quadro depressivo.

O sexo sempre foi um tabu e a educação sexual bastante formal, mitos e inverdades foram criados e transmitidos no transcorrer do tempo. A própria condição machista da sociedade ainda obriga o homem a ser uma “máquina na cama”, criando muitas vezes uma situação de ansiedade que favorece o surgimento de dificuldades sexuais. (Sidney Glina, 1998).

Além da ansiedade de desempenho, outros fatores interferem no desempenho sexual masculino:

  • Dificuldades no relacionamento com a parceira;
  • Problemas emocionais (depressão e ansiedade);
  • A desinformação, mitos, tabus que repercutem na vida sexual do homem;
  • Baixa auto-estima;
  • História da vida sexual (infância e adolescência).

A disfunção erétil pode ser primária – ocorre desde as primeiras relações sexuais.

A disfunção erétil secundária – se desenvolveu após um período de normalidade.

A disfunção erétil situacional – ocorre em determinadas situações.

É importante uma avaliação aprofundada para se ter um diagnóstico.

O homem com disfunção erétil deve primeiramente procurar um urologista para verificar se existe alguma causa orgânica.

Caso não apresente fatores orgânicos, o mais adequado é que o urologista encaminhe o paciente para uma terapia sexual.

O terapeuta utilizará uma entrevista, objetivando perceber e trabalhar os conflitos psicossociais que o paciente apresenta e que estão influenciando negativamente na sua ereção.

A importância da participação da(o) parceira(o) na terapia, pois na grande maioria dos casos também necessita de orientações e em alguns casos de um trabalho terapêutico, por apresentar dificuldades na sua sexualidade.

A disfunção erétil não afeta apenas o homem, mas pode também interferir profundamente nos aspectos emocionais da(o) parceira(o).

Embora a disfunção erétil não seja geralmente causada por um problema de relacionamento, poderá trazer problemas quando não for bem compreendida pela(o) parceira(o).

A terapia permite a possibilidade de trabalhar novos canais de comunicações na vida do casal.

Etiologia

É importante investigar a história de vida do cliente para um maior conhecimento dos pontos importantes a serem trabalhados na terapia.

Avaliar o desenvolvimento psicossexual, atividade masturbatória na adolescência, a iniciação sexual, os relacionamentos afetivos, relacionamento conjugal, vida profissional, lazer e os aspectos emocionais.

Tratamento

Mais da metade dos homens recebe algum tipo de prescrição médica para o tratamento da disfunção erétil de etiologia psicogênica. (Oswaldo Rodrigues Jr., 1995).

Os clientes numa idade mais avançada, realmente se beneficiam com o uso de inibidores de PDF5, o que traz uma nova perspectiva de satisfação sexual de homens acima dos 60 anos de idade.

Para os clientes abaixo dos 55 anos de idade e que apresentam um quadro de disfunção erétil, sem a presença de fatores orgânicos é importante a sensibilidade do urologista de encaminhar este paciente para a terapia sexual, afim de que possa trabalhar suas dificuldades superando seus medos e ansiedades.

A terapia sexual possui recursos técnicos específicos para o tratamento das disfunções sexuais.

Olhar o paciente como um todo, realizando um trabalho multidisciplinar é o melhor caminho para que o homem encontre um equilíbrio satisfatório na sua vida sexual.

Semiramis Prado

 

.
 

Enquete

Quais temas você gostaria de ler a respeito?